O que são Arquétipos e como eles podem ajudar o seu negócio

Resumidamente, os arquétipos são personificações das principais emoções humanas. Identificar os principais arquétipos da sua marca facilitará reconhecer o público que se relaciona emocionalmente com você.

O que são Arquétipos

O Arquétipo é o modelo ideal de alguma coisa, e Jung – fundador a psicologia analítica – acreditava que essas representações estavam presentes no inconsciente de todas as pessoas, influenciando emoções, comportamentos e tomadas de decisão.

Ele definiu 12 arquétipos com suas motivações, conjunto de valores e características que são muito usadas por marcas de sucesso para atrair consumidores que se identificam com sua personalidade arquetípica.

Para quem deseja construir uma imagem de marca com base na persona ideal, o conhecimento sobre os 12 arquétipos é fundamental para que você consiga identificar qual a verdadeira personalidade do seu negócio.

O arquétipo representa um padrão de idéias e formas de pensar que é consistente no decorrer do tempo, entre gerações e culturas.

Archetypes in Branding

Os 12 arquétipos de Jung

Aqui temos um resumo de cada arquétipo segundo a classificação de Jung. Cada um deles representa diretamente uma emoção ou desejo humano, que se agrupam a partir de quatro motivadores essenciais:

  • Participar de uma jornada de evolução espiritual, uma busca pelo paraíso.
  • Fazer a diferença, deixar um legado, uma marca no mundo.
  • Conectar-se com os outros seres humanos.
  • Garantir a estrutura em que se quer viver.
O-que-são-arquétipos-jungianos-Empoderamento-Digital

O Inocente: deseja ser feliz acima de tudo e acredita em um mundo melhor.
Medo: fazer algo errado e ser punido
Desejo: ser feliz

O Sábio: deseja entender o mundo através do estudo e da auto reflexão.
Medo: ser enganado ou ser ignorante
Desejo: encontrar a verdade

O Explorador: liberdade é o valor mais importante e procura fugir do tédio.
Medo: Se sentir preso, tédio e vazio interior
Desejo: experienciar o melhor lado da vida

O Rebelde: gosta de quebrar regras, chamar atenção para si.
Medo: não conseguir agir
Desejo: acabar com o que não funciona mais

O Mago: busca conhecer a visão das leis fundamentais do universo.
Medo: consequências negativas e não intencionais de seus atos
Desejo: realizar sonhos 

O Herói: acredita que com coragem é possível conquistar qualquer coisa.
Medo: ser covarde ou demonstrar fraqueza
Desejo: provar seu valor através de atos corajosos

O Sedutor: seu foco está em relacionar-se com outras pessoas.
Medo: ficar sozinho ou ser rejeitado
Desejo: estar em relacionamentos com pessoas que amam

O Brincalhão: aposta no humor e na ideia de viver o momento, aproveitar ao máximo.
Medo: irritar os outros ou a si mesmo
Desejo: iluminar o mundo

A Pessoa Comum: possui o desejo de pertencer ao grupo, sendo igual aos demais.
Medo: ficar de fora do grupo ou se destacar
Desejo: fazer parte do todo

O Prestativo: tem o grande desejo de ajudar outras pessoas como faria consigo mesmo.
Medo: não ser reconhecido e receber ingratidão
Desejo: proteger as outras pessoas

O Governante: seu maior desejo é exercer o poder.
Medo: a falta de controle
Desejo: criar algo bem sucedido e próspero

O Criativo: possui o dom da criatividade e precisa expressá-lo através de ações significativas.
Medo: ser medíocre
Desejo: transformar ideias em algo de valor

Fonte: Viver De Blog e Wikipédia

Como os arquétipos podem ajudar o meu negócio?

O conceito principal dos arquétipos está relacionado à linguagem e comunicação geral, ou seja, à maneira como nos expressamos e compreendemos o mundo ao nosso redor, seja por meios verbais ou não.

Quando seus clientes olham para a sua marca (nome, logomarca, slogan) eles inconscientemente relacionam esses elementos com os arquétipos presentes em seus próprios repertório de emoções já vividas.

Por exemplo, se queremos ser reconhecidos como uma marca bondosa e empática, não podemos ter uma comunicação autoritária. Ou então, se a nossa marca fala de natureza, não faz sentido usar muitos elementos tecnológicos ou fantásticos, pois eles não são naturais.

Quando você tiver clareza da sua verdadeira identidade, ficará mais simples identificar os arquétipos poderosos que representam as suas emoções, intenções e motivações. Reconhecer e usar os arquétipos corretamente gera uma conexão automática de afinidade com o público que também se identifica com os mesmos arquétipos.

Uma vez identificados, use esses arquétipos e seus elementos essenciais em toda a sua comunicação e conteúdos que produzir.


Gostou deste assunto? Comente sobre os pontos que mais te chamara atenção. Não esqueça se compartilhar o link desse artigo nos seus grupos de relacionamento e redes sociais.

Quer saber mais? Leia também o artigo mais aprofundado sobre como usar os arquétipos para venda e no marketing digital.


Gostou desse artigo? Use os comentários abaixo para contar suas experiências, dificuldades e dúvidas sobre este assunto.

Se esse conteúdo foi importante pra você, compartilhe também com seus amigos em seus grupos de relacionamento e redes sociais. Espalhe o conhecimento!

Rolar para cima